Espírito do Amor

espiritoamor

ESPÍRITO DE AMOR

Espírito Santo Deus

Amor substancial

Que procede do Pai e do Filho

E com eles és adorado e glorificado.

Leia mais:Espírito do Amor

Chaves Educativas De Henrique De Ossó

chaveseduca1. NA RELAÇÃO COM JESUS APRENDEMOS A SER PESSOAS E MESTRES

Henrique entende que o Mestre é Jesus e que educamos, na medida em que somos seus discípulos. À educadora pede-lhe: "Todos os dias, antes de entrar na escola dos seus alunos, visitar e entrar na sua escola que é o Coração de Cristo Jesus"(AP, EEO II, p.747). De Jesus aprendemos o amor às crianças, a mansidão no trato, a ensinar com o exemplo antes que com a palavra...a inspirar mais do que a corrigir... Deus é o verdadeiro educador e o mestre o seu instrumento que coopera na acção de Deus, deixando-se animar e dirigir pelo Espírito especialmente através da oração. O educador não quer fazer as coisas só por sua conta (Cfr.GC, EEO I,p.98).

Leia mais:Chaves Educativas De Henrique De Ossó

Castelo Interior Ou Moradas

castelointeriorI MORADA

CAPÍTULO I

1. Criados à imagem de Deus – alma: castelo de cristal com muitos aposentos. 2 - Rude seria se nada soubéssemos dos nossos pais, nem nisso nos ocupássemos. Assim também não cuidarmos quem somos, que m é Deus (tudo se vai na cerca deste castelo – corpo). 3 - No centro do Castelo, a morada principal: aí Deus pode-se-nos comunicar mais ou menos já nesta vida. 5- Como entrar no Castelo? 6 – Quem não ora assemelha-se a tetraplégico. 7 – Porta do Castelo: Oração e reflexão. Quem repete orações, sem pensar no que diz e a quem, não oração. 8 – Paralítico da piscina Probática. Algumas pessoas, à pressa, de vez em quando, pensam quem são e encomendam a Deus os seus negócios. Reconhecem que têm que mudar. Entram no rés do chão, mas com ela vai a bicharada, que a não deixa sossegar.

Leia mais:Castelo Interior Ou Moradas

Antropocentrismo E Conversão Nas Moradas

antropocentismoAs primeiras moradas do Castelo Interior oferecem-nos alguns marcos que nos fazem perceber convergências entre o caminho de crescimento humano e o processo de conversão:

A chave é relacional: a pessoa entendida como ser-em-relação. Teresa concebe a vida como caminho de relação e nas Moradas equaciona a orientação básica através da relação fundante: a que dá sentido, a relação com a Fonte, Deus.

Concentra a experiência no mais radical: o coração, a afectividade, a história de amor. O ser amado e amar, requer capacidade de aceitação pessoal e liberdade. Neste sentido apresenta a radicalidade do pecado raiz: a luz do Castelo está aí, mas ocultamo-nos dela, fugimos do seu poder, afastamo-nos do amor, cremo-nos a fonte da vida.

Leia mais:Antropocentrismo E Conversão Nas Moradas