Encontro de Coordenadoras da Europa – Fátima

Categoria: Formação
Data de publicação

HPIM7476

De 12 a 16 de abril, vindas dos diversos quadrantes da Península Ibérica e da Via Valcannuta/Roma, um grupo de 26 irmãs das províncias: Sagrado Corazón, Santa Teresa, Virgen de la Esperanza, María Madre de la Iglesia e Maria Imaculada, esteve reunido em Fátima /Tierra de Santa María, para dar início a um ciclo de três encontros de formação para Coordenadoras da Europa e Equipas Provinciais.

 

Uniram-nos os seguintes objetivos:

- Continuar actualizando y profundizando en el sentido del servicio de coordinadora.

- Enriquecernos con las aportaciones y experiencias de todas para ir haciendo un
camino común.
- Generar esperanza y ser fortalecidas en el servicio de coordinación.

Domingo de Ramos foi o nosso 1º dia de encontro. Iniciámos o dia com um momento de oração, no qual a interiorização ocupou dois momentos significativos: Numa 1ª parte, tivemos um tempo longo de oração individual e em grupo pequeno, que nos dispôs a abrir-nos o coração à luz do Espírito a fim de nos disponibilizarmos interiormente para fazer a experiência da comunidade de discípulas a que nos convida o Capítulo Geral. O símbolo que nos acompanhou foi acender uma vela e colocá-la junto da Palavra. O texto que iluminou a nossa oração foi o da liturgia do dia: Is 50, 4-7. No grupo, partilhámos o que mais nos moveu, relacionando os itens de serviço, anteriormente focados, com a leitura do Servo de Javé. Numa segunda parte, já em grande grupo, tivemos como símbolo, ramos de oliveira. Entre todas refletimos e partilhámos as características da oliveira e do azeite relacionadas com a 1ª parte da oração. Terminámos a oração cantando "Te alabamos"; enquanto se cantava, agitavam-se os ramos de oliveira.
De seguida, foi o momento de apresentação. Utilizou-se uma dinâmica muito ativa (Juego de las Tarjetas) dando possibilidade a todas as participantes não só saber o nome de cada uma, como a proveniência e qualidades... tendo provocado em todas nós, uma boa disposição.
Após o descanso, Upe fez a apresentação do encontro. Pelo salão encontravam-se vários cartazes com os seguintes vocábulos: Liderança, Itinerância, circularidade, desde dentro, desde baixo e discernimento. À volta destes termos, fez-se uma reflexão, conectando com o encontro do sexénio anterior. Várias perguntas foram lançadas ao grupo: Cómo has vivido en tu realidade la circularidade, la itinerância ey el discernimento? Qué necessitarías para dinamizar, acompanhar, en esta línea? Qué está pidiendo la realidad de nuestro entorno a nuestro servicio de gobierno? (...) Trabalho de grupo individual e trabalho em pequenos grupos. Quer a reflexão individual quer a puesta en común foram momentos iluminadores e esclarecedores. Sentia-se um clima de hermanas entre hermanas, por isso, a qualquer dúvida, pedido de esclarecimento sentia-se um fluir de amizade e de atenção quer de quem perguntava quer de quem esclarecia.
Terminámos o dia com a grande oração de ação de graças por tanto bem recebido: a Eucaristia. Concha introduziu-nos na celebração com uma pequena resenha do que se viveu ao longo dia: La oración de esta mañana nos ha introducido en la fiesta litúrgica de hoy. (...) Hemos visto el mesianismo que elige Jesús y cómo nos cuestiona, desde las lecturas e desde la realidad. El día nos ha planteado nuestro liderazgo como coordinadoras, y vemos que va en la línea de Jesús: Desde ABAJO, desde lo pequeño: con apertura, flexibilidad... As eucaristias destes três dias foram presididas pelo Padre Joaquim Teixeira, OCD.
No segundo dia, fomos brindadas pela presença de Angélica Morales e Inmaculada Rodríguez. A Angélica situou a sua intervenção sobre a liderança e o novo paradigma comunitário, reforçando alguns aspetos importantes que marcam o contexto no qual nos movemos hoje.
A sua comunicação Liderazgo y nuevo paradigma comunitário y lenguaje místico; andou à volta de algumas palavras que reforçam o caminho a percorrer em tempo de reestruturação: líderes dinâmicos, criativos, santos, que originam vida.
Chamou-nos a atenção que a verdadeira comunicação é aquela que fala desde a experiência: liderança – seguir até dentro, prosseguir até ao meu interior, atenção a cada momento, porque nada é estático. Exortou-nos a perguntar no decorrer dos nossos diálogos: O que quero conseguir com esta conversação? Falar em verdade. No nosso dia a dia integrar o religioso, a experiência e a estrutura. A linguagem é a ferramenta que tanto nos pode humanizar como desumanizar. Por isso o convite foi lançado usar sempre uma linguagem transformadora. Deixar-me surpreender por aquilo que os outros me possam dizer. O que aprendo com esta situação? A importância da comunicação é o diálogo sempre aberto e franco. No serviço da liderança vislumbra-se sempre a autoaprendizagem. Com dinâmicas muito sugestivas a manhã foi vivida duma forma leve mas profunda.
De tarde, tivemos a alegria de estar e contactar com Inmaculada Rodríguez. Com o seu saber e como diria o nosso poeta Camões, "saber de experiência feito" e a sua sensibilidade falou-nos sobre: Jesús: Liderazgo de servicio. Com base numas quantas questões: Quem? Quê? Qual? Para quê? (...) foi delineando a pessoa de Jesus na sua relação com Deus, consigo próprio e com os outros. Culminou a sua "ponencia" falando-nos do serviço de Jesus, o grande líder da humanidade. Concluímos esta temática com uma leitura orante: "Cristo es siervo y Señor" (Fil2, 1-11)
Resta-nos o 3º dia. Os nossos mestres: Teresa e Henrique não podiam faltar no abrangente leque dos temas apresentados. Teresa Gil, stj, da parte da manhã, ofereceu-nos na sua apresentação: Carisma: discernimento. Para isso, serviu-se dos seguintes subtemas: Teresa, EN DISCERNIMIENTO, al hilo de la vida - Un modo de comprender el liderazgo teresiano". O tema já em si, como teresianas, é entusiasmante, mas Teresa Gil com sua clarividência e vivacidade fascinou-nos. Passo apenas a citar alguns dos itens que abordou e que foram refletidos individualmente e em grupo: "QUÉ DICE TERESA DE SÍ MISMA RESPECTO DE SU MODO DE SER ACOMPAÑANTE: que le preocupa, qué temores, cómo va respondiendo... QUÉ "VOCES" escucha? QUÉ PASOS da ante lo que llega. QUÉ DECISIONES toma?; Cómo mira Teresa a las personas?; Qué criterios mueven sus decisiones? Cómo se reflejan los criterios evangélicos? Cómo aparece reflejado la visión del proyecto teresiano?" Questões que foram lançadas à assembleia tendo sempre como pano de fundo textos de Teresa e de Henrique. Em jeito de síntese Teresa Gil apontou: Henrique e Teresa, sujeitos de discernimento; Teresa de Jesus, mestra de discerni mento e Teresa como critério de discernimento. E concluiu com uma afirmação de Henrique: "Las obras y el espíritu de vuestra Madre y Doctora serán el mejor juez para decidir en casos dudosos o no revistos." Muitos ensinamentos para tão pouco tempo! Resta-nos a consolação saber que teremos mais oportunidades para nos debruçarmos sobre o tema.
E por fim, Upe toma a dianteira para sintetizar tudo o que foi vivido ao longo destes três dias e projetar o futuro. Foi interessante a metodologia que empregou, conseguindo assim envolver toda a assembleia e cada participante fazer a sua própria síntese.
Terminámos no salão com um grande "obrigada" a todas e a cada uma pelos momentos passados e por todas as luzes recebidas. Como "boas teresianas" não podia faltar o momento de avaliação onde cada uma teve oportunidade de partilhar os pontos fortes e menos fortes e alguma achega em vista ao futuro.
Seguiu-se a eucaristia. No ofertório, levámos ao altar as velas que foram acesas na oração do 1º dia e com o canto "Vossa Sou para Vós nasci" entregámos ao Senhor todos os nossos sonhos, os nossos medos e receios. No jantar, brindámos, com vinho do Porto, desejando as melhores felicidades e a continuação de em conjunto procurarmos caminhos que ofereçam Vida às nossas comunidades, na Europa.
A todas que proporcionaram este encontro o nosso BEM-HAJA!

Conceição Marques, stj