História

Somos parte de uma família que nasceu em 1876, na Catalunha, graças a um homem de fé, seriamente preocupado pelos grandes problemas que afectavam a sociedade do seu tempo: diminuir tanto analfabetismo atendendo sobretudo o tão descuidado sexo feminino. A experiência de Teresa de Jesus inspirou santo Henrique de Ossó que passou a apostar nas capacidades de mulher e a abrir-lhes horizontes para além das quatro paredes da casa a que ela estava confinada...

A sua visita de apóstolo teresiano em 1883, a Portugal, provocou a primeira saída da fronteira espanhola: situou-se na Fraga, diocese de Viseu, em 1884, e, daí, outras presenças se seguiram: Torres Novas, Santa Cristina do Couto, S. Martinho do Campo (Santo Tirso)...

Em 1910, com a expulsão das ordens e congregações religiosas do País, surgiu o tempo da diáspora para este grupo, de teresianas, forte e cheio de pujança. Outras missões, noutros países, as chamaram. Um grupo de irmãs funda no Brasil. Aí, a nossa família, Companhia de Santa Teresa de Jesus, ganhou raízes para dar abundantes frutos que perduram.

Passados anos, algumas puderam atravessar de novo o Oceano em sentido inverso, regressando a Portugal.

Em 1924 regressámos, na clandestinidade ainda, fixando-nos em Elvas. Uma verdadeira aventura nascida do entusiasmo dos antigos alunos e alunas.

Foi o reinício de uma nova etapa, que, a pouco e pouco foi multiplicando as presenças: Braga, Portalegre, Coimbra, Porto...; vinculadas à Província Sagrado Coração, do Centro de Espanha.

Em 1945, o Capítulo Geral constituiu a Província Maria Imaculada, com a autonomia que as Constituições conferem.

A partir de então, foi-se configurando a Província nascente, com o Noviciado e a Casa Provincial, em Braga.

Em Lisboa a Comunidade acolhia e enviava as Irmãs, que faziam caminho entre a América e a Espanha.

África desafia a vocação missionária de muitas teresianas.

Desde 1949, muitas Irmãs rumaram a Angola, para dar corpo à dimensão missionária. Ali foi crescendo o número de novas vocações nativas. Até se constituir a Província Nossa Senhora Rainha em 1968.

Em Portugal fomo-nos, entregando a um quadro diversificado de Comunidades e Obras.

A partir de 1974 sentimos o apelo de novas presenças em zonas mais rurais e do interior.

Hoje estão a chamar-nos as periferias das grandes cidades e sempre no nosso horizonte de educadoras "Ir ali onde correm mais perigos os interesses de Jesus" (Henrique de Ossó)

...