Teresa de Jesus

terespViveu no século XVI a grande euforia das descobertas. OUTROS MUNDOS, com outras raças e cores, faunas, floras e costumes diversos, ABREM HORIZONTES


Descendente de judeus, nasceu a 4 de Março de 1515 em Ávila - Espanha no seio de uma família cristã. Sentiu-se sempre muito querida e mimada. A mãe, apaixonada pela leitura, permitiu-lhe dispor dos livros que lhe alimentaram a fantasia e os grandes desejos:
Primeiro as vidas dos santos e dos mártires fizeram-na entrar em aventuras incríveis; depois as novelas e novas amizades, levaram-na a gostar das vaidades e a viver as primeiras paixões.


Após a morte da mãe, o pai, temeroso pela filha, internou-a num colégio de meninas ricas. Ali, depois de lhe passar a revolta sentida, começou a gostar das pessoas e do ambiente. Recuperou aqueles sentimentos positivos e ressurgiram novos ideais.


Quando a doença a fez regressar ao seio da família, Teresa que rejeitava a possibilidade de vir a ser monja (freira), sentiu o irresistível chamamento de Deus e entrou no Convento da Encarnação de Ávila aos 20 anos.


Entregou-se, corajosamente, apesar do ambiente da época nesses locais não ser adequado aos fins que ela perseguia. Desejava uma maior radicalidade e não a encontrava também no Convento.


A saúde abalou-a e quase acabou por ir cedendo à "vida fácil". Teresa teve que travar uma forte luta entre a sedução do meio, onde a simpatia e conversação amena lhe ganhou muito prestígio, e o apelo interior a uma vida mais radical.

E sempre sonhando e partilhando os seus sonhos num grupo de amigas/amigos, ela toma a decisão de sair e fundar um novo conventinho, com as características de uma vida mais radical.

Doze era o número limite, um número bastante mais pequeno para o habitual (eram mais de 100 as monjas a viverem no Convento da Encarnação). Outras/os jovens começaram a solicitar entrar. E foram 24 os conventos por ela fundados, para mulheres e para homens por toda a Espanha. Também esteve para fundar em Lisboa, mas já ficou para a sua amiga um pouco mais tarde.

A sua vida controversa foi narrada por ela própria no seu livro da VIDA que passou pela Inquisição - tribunal eclesiástico para proteger a pureza da fé.
Aprendera que só quando vivia a AMIZADE de DEUS via a Verdade e podia tomar decisões acertadas. Por isso, empreende comunicar às suas Irmãs o caminho da oração que experienciara, escrevendo "O CAMINHO DE PERFEIÇÃO" e mais tarde, o "CASTELO INTERIOR", que também denomina "MORADAS".

Morreu a 15 de Outubro de 1882 em Alba de Tormes entre incompreensões, calúnias e rejeição por parte de muitas das suas monjas e monjes... Foi com Catarina de Sena proclamada Primeira doutora da Igreja em 1974.

TERESA de JESUS "é o referente fundamental das irmãs da Companhia de Santa Teresa de Jesus: mãe, mestra, fonte de um estilo de vida, mulher enamorada que nos contagia a paixão por Jesus de Nazaré, MULHER RELACIONAL, que nos transmite a espiritualidade do ENCONTRO desde dentro, numa relação simétrica, de tu a tu. RELAÇÕES que geram vida.